ANA LÚCIA BRUNIALTI GODARD
Brasil


Possui graduação em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1988), mestrado em Genética Humana - Université Pierre et Marie Curie (1993) e doutorado em Genética Humana - Université Pierre et Marie Curie (1997), ambos realizados no Instituto Pasteur de Paris. Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Minas Gerais ? UFMG. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Genética da UFMG. Membro Titular do Conselho Nacional de Biossegurança (CTNBio). Desde meu ingresso na UFMG, sempre estive envolvida com ensino e pesquisa. Minha linha de pesquisa converge para a Genética, utilizando modelos animais e a biologia molecular como ferramentas de estudo para desvendar as bases genéticas das desordens no uso problemático do álcool. É para mim, importante a criação e coordenação do Laboratório de Genética Animal e Humana, que vem contribuindo para a formação de mestres e doutores e para treinamento de discentes dos programas de iniciação científica. Ao longo destes anos desenvolvemos inúmeros projetos iniciando com os modelos animais de patologia genéticas humanas. Em 2006 começava minha linha de pesquisa a qual atuo até hoje. Definitivamente o estudo das bases genéticas no uso problemático do álcool é hoje meu foco e de toda minha equipe. Com esta linha formei inúmeros mestres e doutores. Até o momento formei: Iniciação científica: 32; Mestrado: 22; Doutorado: 10 e supervisionei 6 pós-doutorados. A formação de recursos humanos foi traduzida em artigos científicos, sendo a quase totalidade com a participação direta dos meus discentes. Contando o decênio, publicamos 26 artigos, de um total de 28, com meus discentes e relacionados a minha linha de pesquisa. Com relação ao tema da proposta, nosso grupo de pesquisa vem se destacando no desenvolvimento de modelos animais de uso problemático do álcool. Desenvolvemos três modelos, dois em camundongo e um com zebrafish. Através destes modelos conseguimos evidenciar uma nova via molecular comandada pelo gene Lrrk2 envolvida no alcoolismo, também conseguimos demonstrar que esse gene está associado com o mesmo fenótipo no homem e, não menos importante, que o inibidor da proteína Lrrk2 reduz o comportamento de preferência pelo álcool. Continuando nosso estudo na base genética do alcoolismo, desenvolvemos presente modelo animal que desenvolve obesidade e comportamento abusivo com uma dieta hipercalórica e que, quando a dieta é retirada, passa a ter preferência pelo álcool. Mostramos que a via de recompensa dopaminérgica está envolvida nestes dois comportamentos, bem como a alteração da microbiota. Deste modelo, alcançamos até o momento a publicação de 6 artigos científicos. Não menos importante, o modelo desenvolvido tem suscitado o interesse da comunidade científica internacional, e através deste interesse firmamos colaboração com a Dr Gaelle Boudry, com a qual iremos trabalhar no desenvolvimento das linhagens probióticas e metaboloma. No que tange nossa contribuição social, o tema uso problemático do álcool é de grande interesse da sociedade. Neste sentido, desenvolvemos um projeto de extensão, "Um copo no corpo: a jornada do álcool no cérebro", no qual trabalhamos com a questão nas escolas envolvendo a formação dos educadores com apostila, jogos, e conferência. O projeto chamou a atenção do Governo do estado de MG e fui convidada para participar da elaboração da Plano Mineiro sobre prevenção no uso e abuso de álcool.